20 de janeiro de 2014

Se clone

Se o vento soubesse de cada detalhe meu, 
levaria as colinas meus aromas preferidos.
Desenharia, 
somaria meus pesares e ventaria para nunca mais, 
como num ímpeto subjetivo, 
particular. 

7 de fevereiro de 2013

Calmaria da alma

Você gosta de poetizar a vida, menina.
Polemizar o silêncio.
Organizar o caos.
Duvidar das estações.
E se preencher de vazios inteiros, menina.
Como é isso?

Você gosta de sentir vento forte.
Bagunçar o cabelo.
Levantar sem apelo.
Imaginar o infinito, menina.

Pular estrofes.
Bailar sem dom.
Observar solene.
Ter essência, menina.
E somar aromas.

Sem cadenciar.

10 de janeiro de 2013

Supor do sol

Escorregando a colina
Para nascer
E se pôr
A felicidade
Em ensolarado flavor
Acendendo no Japão
Escurecendo oração

Âmago particular

Tecendo vocábulos

Perdi o prumo, o prazo, o rumoToda confissão foi parar num querer. E sem saber. Em sua própria primazia, eu peço, que eternize. Que nos preenchamos sem arestas ou vazios, e encontremos o mundo que aqui cabe. As novidades e natalidades sejam bem vindas em nosso continuar.