3 de agosto de 2010

Margem

Desde as raízes
As folhas 
O vento a levá-las
Por onde

Faltou o ar

Querido
Simultâneo é
O sol insiste banhar teu leito
Árvores replicam esconderijo
Deleito-me em sombra
Fosses como água
Transparente
Novo amor

Faltou o ar

3 comentários:

Ulisses disse...

genial
achei muito bacana a desconstrução de padroes, por ter deixado todo o texto na direita
;)
bjao

Ana.K disse...

"Novo amor
Faltou ar"

*-*

Henrique Miné disse...

e o melhor é quando esse ar demooora a voltar, sabe?

Belíssimo, como sempre.

Beeeijos.